Menos é Mais | A Ditadura da Quantidade

Menos é Mais | A Ditadura da Quantidade

Cada vez mais, tem menos sentido para mim a distinção entre online e offline, como se existisse uma linha forte e intensa a separá-los.

Quando li o The Onlife Manifesto, o conceito pareceu adequar-se plenamente à minha vida e à de tantos outros. A vida é onlife.

 

Não fazemos logout no computador, nem nas aplicações que temos no telemóvel.

Não fazemos logout do digital para entrar em modo IRL (In Real Life).

 

Sei que eu e todos os que se identificam com o que acabei de escrever, vivemos numa bolha. Em Portugal isto não é uma realidade para todos.

Regressemos à bolha onde somos onlife. Uma vez reconhecida esta condição, é importante fazer o exercício minimalista, aplicando-o em vários campos.

 

 

 

O Número e a Ditadura da Quantidade

 

 

A vertigem do número atrai-nos: o número de livros que temos, o número de livros que lemos, o número de pessoas que seguimos, o número de pessoas que nos seguem, o número de likes.

Quando damos por nós, o que temos é ruído: nas prateleiras dos livros, nos instagrams da vida, nos tweets que publicamos.

 

 

Menos é Mais | The Minimal Magazine

 

 

Vivemos com a ideia de que bom é ter muito ou muitos. Todavia, um olhar mais demorado permite-nos perceber que a qualidade nem sempre está presente na quantidade.

Menos é mais: libertem as prateleiras dos livros que não vão ler, libertem-se das apps que não acrescentam nada.

 

 

 

O Atropelo de Informação

 

 

 

O fluxo de informação é enorme e imparável. É por isso que é tão importante escolher as fontes que nos oferecem qualidade, que nos acrescentam valor.

O JOMO (Joy of Missing Out) deve ser abraçado: não temos de saber tudo ou de tudo. É bom não saber tudo, pois já seleccionámos as fontes onde vamos buscar a informação que nos faz, realmente, falta.

 

Estabeleçam os vossos critérios: escrever ajuda a não perder o foco, a evitar o imediatismo do subscribe, do buy now, do follow, do tap here.

 

 

Menos é Mais | The Minimal Magazine

 

 

 

Parar para Pensar

 

 

O parar para pensar pratica-se nas grandes decisões da vida, mas também nas pequenas, como a compra deste ou daquele livro, daquela peça de roupa, no follow que se faz àquela conta de Twitter. Menos é mais.

100
PRESENÇA
98
CONSCIÊNCIA
90
MINIMALISMO
Joana Rita Sousa - The Minimal Magazine
TAGS:

Stay
connected

You’re less likely to catch a cold and
your brain will get sharper! ;)

Iniciar sessão

Looking
for Inspiration?

Get all the exclusive news, stories,
tips and happenings in your inbox!

By signing up, you agree to receive our
newsletter and accept our web terms of use
and privacy and cookie policy.

YOUR CHOICES