O Poder da Individualidade

O Poder da Individualidade

O Zacarias chegou à Quinta no pico do verão de 2018.

O seu pequeno e desajeitado corpo era oferta de um sorteio de rifas, e alguém o ganhou. Alguém ganhou um borrego num sorteio e ao reclamá-lo, o mesmo seria então preparado para consumo, saindo do recinto um corpo já sem vida, ainda não um Zacarias, mas apenas mais um borrego.

Quem o ganhou, viu um rasgo do Zacarias no olhar do borrego, e decidiu que não poderia levá-lo sem vida, que iria sim encontrar-lhe um lar, para que pudesse deixar de ser borrego, para que crescesse e fosse cordeiro e carneiro, e quem sabe algo mais.

Do portão da Quinta das Águias

para dentro, já não havia mais borrego.

Havia só o Zacarias.

Devido ao seu estado fragilizado, não pôde ser colocado junto do rebanho que habita na Quinta, habituando-se desde cedo à companhia humana e criando uma ligação forte com a Ivone, seguindo-a religiosamente nas suas idas à horta, e insistindo em entrar em casa, qual gato ou cão de pêlo macio e encaracolado e andar desarranjado.

O Poder da Individualidade The Minimal Magazine I

Quinta das Águias

A passo lento e trapalhão, o Zi tomou conta de tudo e de todos na Quinta, fazendo agora parte da casa, da matilha, da colónia, do bando de pavões, acompanhando as galinhas, os patos e os gansos nos seus passeios, estacionando à porta da Bolota e Companhia apenas para pensar na vida, trocando carinhos vários com o Artax e o Silver e, acima de tudo, recebendo uma dose diária de mimos obscena, por parte de todos os que habitam e dos que visitam a Quinta.

O Zacarias é mimado, muito mimado. Se não o deixamos entrar em casa para estar no colo de alguém a receber carícias, fica a olhar-nos através das portas vidradas e sabemos que nos julga.

Se decidirmos fazer uma caminhada nos terrenos da Quinta porque queremos estar sozinhos a reflectir no mistério da vida, na condição humana, ou simplesmente a fazermos a lista de compras mental, é muito provável que olhemos para trás e demos por nós acompanhados pelo Zi, que a uma distância respeitosa nos segue, fazendo questão que saibamos que não estamos sozinhos.

O Poder da Individualidade The Minimal Magazine II

Quinta das Águias

Acariciar o Zacarias e vê-lo ruminar com os olhos fechados sem uma única preocupação no mundo, é sentir que a beleza da vida é infindável, e que no meio de todas as preocupações e problemas, da azáfama diária, entre a espuma dos dias, é possível parar, fechar os olhos e, não sendo ruminantes, só respirar.

É a actividade mais relaxante de toda a experiência que se vive na Quinta, e a mais concorrida.

Graças ao Zacarias, já muitos visitantes juraram não mais comer borrego. Já muitos se sensibilizaram para uma existência mais consciente e compassiva. Porquê?

O que é que o Zacarias

tem de especial?

Nada, na verdade. É, tal como todos os animais, um ser senciente, dotado de sensibilidade e inteligência, um ser complexo que sente dor, prazer, medo e alegria, um indivíduo.

O Zacarias não é um borrego. Não é sequer um cordeiro ou um carneiro. Porque passou o portão da Quinta das Águias, o Zacarias é agora todos os borregos, todos os cordeiros e todos os carneiros.

A liberdade de poder expressar a sua individualidade (e peculiaridade), tornam o Zacarias num símbolo da sua espécie, que nos faz enfrentar e reconhecer aquilo que cá dentro já sabemos:

Os animais, tal como nós, fazem parte de um colectivo, mas são indivíduos e têm personalidades.

Cada um deles é único e insubstituível.

100
CONSCIÊNCIA
100
COMPAIXÃO
100
EMPATIA
Quinta das Águias - The Minimal Magazine
TAGS:

Stay
connected

You’re less likely to catch a cold and
your brain will get sharper! ;)

Entrar

Looking
for Inspiration?

Get all the exclusive news, stories,
tips and happenings in your inbox!

By signing up, you agree to receive our
newsletter and accept our web terms of use
and privacy and cookie policy.

YOUR CHOICES