O Pulsar da Terra | O Início

O Pulsar da Terra | O Início

A alvorada dita o começo dos trabalhos.

 Ouvem-se as portadas de madeira ranger, a porta da casa abre-se para a Caju, a Goji e a Pitanga irem correr lá fora, os gatos estão já em alvoroço à espera do pequeno-almoço e bamboleiam-se entre as pernas humanas a exigir sustento antes de começarem o seu muito importante dia de trabalho dormidor.

 

O pequeno-almoço humano só acontece depois de todos os animais da Quinta estarem saciados. São mais de 130, entre cães, gatos, cavalos, ovelhas, porcas, galinhas, coelhos, gansos, patos e outros.

Os guardiões da Quinta, no alto da Casa de Pedra, descem com o seu manto colorido e pavoneiam-se para gáudio de todos, não só das pavoas desinteressadas.

 

De barriga cheia, galinhas, patos e gansos já podem andar à sua vontade. As galinhas são criaturas curiosas e espertas, que desenvolvem laços especiais entre si, formando grupos de amigas que fazem explorações pela Quinta em busca dos melhores locais para esgravatar a terra à procura de sementes e insectos, em tagarelices adoráveis.

Já os patos, podemos vê-los em fila indiana, lentamente descendo até ao lago, seguindo os passos firmes do casal de gansos.

 

O Pulsar da Terra Quinta das Águias The Minimal Magazine II

Quinta das Águias

 

Bolota, Miss Piggy, Belly e Jelly, as residentes porcinas, dadas a festas na barriga e pouco esquisitas com o menu, roncam um ronronar quase felino, exigindo atenção.

Lá em baixo já só vemos branco, entre o Artax e o Silver, suas majestades equídeas, e o grupo de ovelhas que sempre os acompanha na hora da refeição, até que, assim de repente, e porque não poderia ser de outra forma, o branco é tingido pela ovelha negra que faz questão de se destacar sempre, no seu papel singular.

 

Coelhos, porquinhos da Índia, codornizes, perus, tartarugas e uma segunda ala canina com Bruno o ancião e Robin o tímido, completam a paleta de residentes oficiais da Quinta das Águias.

Mas não só animais fazem parte da paisagem da Quinta das Águias. Toda a flora selvagem faz tão parte daquilo que é a qualidade inefável da Quinta, tudo o que não conseguimos pôr em palavras.

 

Há uma interdependência, uma conectividade, um equilíbrio serendipitoso entre pessoas, animais e plantas, que transforma este local num microcosmo, um pequeno mundo dentro do mundo,com o seu ecossistema, as suas próprias regras que desafiam toda a lógica de relações interespécies, com o seu pulsar da terra em uníssono com o bater do nosso coração.

 

 

 

Em qualquer canto da Quinta,

na melodia do silêncio, se colocarmos

a mão na terra, ela estará viva.

 

 

Podemos sentir a sua pulsação, tanto quanto sentimos a nossa se respirarmos tacitamente.

A Quinta das Águias é o resultado de quem a idealizou, mas também da comunidade onde se encontra inserida. Paredes de Coura é, por si só, uma confluência de serendipidades, um local propício ao nascimento de uma existência mais consciente e una com a Natureza.

 

O Pulsar da Terra Quinta das Águias The Minimal Magazine IV

Quinta das Águias

Mas embora a Quinta não possa ser replicada, o despertar introspectivo que ela provoca, esse pode ser levado com cada uma das pessoas que a visita.

A consciência de que cada criatura, cada planta, cada semente, tem um valor intrínseco, incalculável, que lhes concede por isso o mesmo cuidado e amor incondicional.

 

Esperamos poder partilhar com todos a visão que guia a Associação Quinta das Águias, e criar aqui um espaço de reflexão, introspecção e descoberta, que nos deixe escutar aquela voz primordial que todos temos e que a sofreguidão da sociedade actual abafa.

100
EQUILÍBRIO
98
SERENDIPIDADE
100
VIDA
Quinta das Águias - The Minimal Magazine
TAGS:

Stay
connected

You’re less likely to catch a cold and
your brain will get sharper! ;)

Iniciar sessão

Looking
for Inspiration?

Get all the exclusive news, stories,
tips and happenings in your inbox!

By signing up, you agree to receive our
newsletter and accept our web terms of use
and privacy and cookie policy.

YOUR CHOICES