Qual a importância do nosso Mindset?

Qual a importância do nosso Mindset?

Mindset é um termo muito usado nos dias de hoje. Mas o que quer realmente dizer? E que tipos de Mindset existem?

 

Mindset (ou mentalidade) está relacionado com os nossos padrões de pensamento, que por sua vez, são responsáveis pelos nossos comportamentos. “Mindset” é também o título de um dos livros mais referenciados no mundo do desenvolvimento pessoal, da autoria da Dra. Carol Dweck.

Nele, a autora define dois tipos bem diferentes de mindset: o Fixo e o de Crescimento. E, ao que parece, esta diferença de mindset é fundamental para o sucesso.

 

 

Mas o que distingue estes dois

tipos de mindset?

 

 

É fácil, uma vez que eles não podiam ser mais diferentes.

 

As pessoas com um Mindset Fixo:

 

•  Acreditam que nasceram com uma quota fixa de inteligência e de talentos.

•  Sentem que errar é insuportável e doloroso, já que prova que essa quota de talento não é muito elevada.

•  Por causa disso, evitam desafios e experiências novas com medo da falha e de parecerem menos inteligentes.

 

 

As pessoas com um Mindset de Crescimento:

 

•  Acreditam que a sua inteligência e capacidades melhoram ao longo do tempo, através da aprendizagem e do treino.

•  Acreditam que o sucesso depende de trabalho intenso, esforço e dedicação.

•  Olham para a falha como uma oportunidade de obterem feedback e melhorarem.

 

Importância-Mindset-The-Minimal-Magazine-II

 

 

Podemos então afirmar que a principal característica das pessoas com um mindset de crescimento é o facto de acreditarem e apostarem na aprendizagem constante.

Assim, o lema do mindset de crescimento é be a learner – sê um aprendiz. Pessoas que têm este mindset acreditam que têm a capacidade de se superarem progressivamente, de serem todos os dias um pouquinho melhores do que no dia anterior.

 

1% Better Everyday”, como na filosofia de Kaizen.

 

Para as pessoas com um mindset fixo, pode ser difícil aceitar esta ideia de que é possível aprender qualquer coisa. Mas basta um exemplo muito simples para conseguirmos quebrar esta resistência: é tão fácil como pensar num bebé recém-nascido, que chega a este mundo sem qualquer habilidade, sendo o ser humano um dos animais que mais tempo precisa para se tornar auto-suficiente.

 

Se observarmos a curva de aprendizagem de um bebé, torna-se óbvio que a capacidade de aprendizagem do ser humano é incomparável. O que começa a acontecer em idade adulta é que passamos a desistir ao primeiro sinal de dificuldade ou da primeira vez que falhamos. Mesmo que não desistamos logo – porque, por vezes, nem nos é permitido, como na escola – passamos a acreditar que não somos capazes de mais.

 

 

E se é nisso que acreditamos,

é nisso que se vai tornar a nossa realidade.

 

 

E se um bebé desistisse de aprender a andar da primeira vez que caísse? E se desistisse de aprender a falar da primeira vez que alguém se risse de uma palavra mal pronunciada? Então porque fazemos isso na idade adulta?

 

A verdade é que a forma como somos educados, a maneira como os adultos que nos rodeiam reagem ao nosso desempenho, afecta muito o nosso mindset. Tipicamente, quando os adultos se focam na crítica ou no elogio dos resultados, a criança acaba por desenvolver um mindset fixo. Pelo contrário, se os adultos se focarem no elogio do esforço e do processo ou no incentivo aos desafios, então é mais provável que a criança desenvolva um mindset de crescimento. Assim, torna-se imperativo que nos tornemos mais consciente na educação das nossas crianças no que toca ao mindset.

 

Então e quem, após a leitura deste artigo, chegar à conclusão de que tem um mindset fixo? É simples: basta fazer uma escolha diferente. Sim, é possível mudar o nosso mindset, ele não é, só por si, uma característica fixa. Um mindset fixo não passa de um conjunto de crenças, e podemos mudar as nossas crenças a qualquer momento. Ao longo da nossa vida vamos constantemente adquirindo e perdendo um sem número de crenças, e se as quisermos alterar, só depende de nós.

 

Aqui ficam algumas estratégias para começar a mudar para um mindset de crescimento:

 

 

1 | Identificar e Reescrever a Nossa História

 

A qualquer momento, podemos olhar para o nosso passado, para as nossas conquistas e falhas, perceber a história que estamos a contar a nós próprios sobre isso, e alterar essa história.

 

Em relação a capacidades que acreditamos não ter, podemos reenquadrar o nosso passado e o nosso desempenho até ao momento com uma história que esteja alinhada com um mindset de crescimento. E para aprender a ter uma perspectiva diferente da nossa história, nada melhor do que ler este recente artigo da Catarina Lino.

 

 

 

2 | Visualizar o Nosso Resultado Pretendido

 

Se há algo que gostávamos de fazer, mas não cremos ainda ter as capacidades necessárias, devemos começar a visualizar a versão de nós próprios que tem essas mesmas capacidades.

 

Porque só depende de nós adquiri-las. E a visualização é o primeiro passo para passarmos a acreditar que é possível conseguir reunir as capacidades necessárias para qualquer coisa.

 

“If you can dream it, you can do it”, já dizia Walt Disney.

 

Importância-Mindset-The-Minimal-Magazine-IV

 

3 | Sermos Seletivos com Aquilo que nos Rodeia

 

No que toca a pessoas, livros, conteúdos e informação que consumimos. Se costumamos conviver com pessoas que nos puxam para baixo e reforçam um mindset fixo, então talvez seja melhor passarmos menos tempo com essas pessoas.

Passar a ler livros com histórias (imaginadas ou reais) de superação ajudará também a reforçar a crença na superação progressiva.

 

 

 

4 | Habituação à Falha… e dar as Boas-vindas ao Feedback

 

Deixar de ver a falha como algo inerentemente mau, é outro dos pontos chave. A falha vem carregada de aprendizagem. Na verdade, há quem defenda – e eu concordo –  que não existe falha, apenas aprendizagem. Já dizia Thomas Edison, “Eu não falhei, apenas encontrei 10 mil caminhos que não funcionam”.

 

Associado ao medo da falha está, muitas vezes, o medo da crítica. Mas a crítica não passa de feedback que podemos usar para melhorarmos – e ao melhorarmos estamos a crescer, a aprender. Assim, o conceito de falha pode passar a ser encarado como algo positivo: passamos a poder retirar informação para fazermos as coisas de forma diferente – e melhor – da próxima vez.

 

 

 

5 | Ver o Sucesso dos outros como a Prova de que é Possível

 

Em vez de olharmos para o sucesso dos outros com inveja ou com a perspectiva de que “é porque teve sorte” ou “é porque nasceu com talento”, podemos passar a ver essas situações como prova de que é possível atingir metas e conseguir resultados positivos.

 

No fundo, em qualquer área é possível encontrar casos de sucesso, e isso apenas prova que em qualquer área é possível aprender. Se todos podemos aprender, então qualquer um pode atingir o sucesso, basta estar disposto a estudar e a dedicar-se.

 

Desta forma, o sucesso dos outros passa a ser algo positivo e até um incentivo – uma inspiração – para nós próprios trabalharmos nos nossos objetivos.

 

Importância-Mindset-The-Minimal-Magazine-III

 

6 | Diário de Conquistas

 

Tal como um diário de gratidão é muitas vezes recomendado como prática de bem-estar e de mindfulness, que comecemos também a fazer um diário de conquistas.

 

Da mesma forma que no diário de gratidão nos mostramos gratos por duas ou três coisas por dia, que podem ser coisas simples e pequenas, podemos também começar a registar duas ou três (ou mais) conquistas diárias.

 

Não precisa de ser nada de extraordinário. Pode ser apenas aquele passo que demos em direção a um objetivo, aquele telefonema que fizemos a alguém importante, ou o facto de termos conseguido controlar uma emoção negativa. Desta forma, focamo-nos nos nossos progressos diários e o foco muda para aquilo que passamos a conseguir fazer (e já se sabe que onde colocamos o nosso foco será sempre a área que mais irá crescer).

 

 

 

7 | Valorizar Mais o Progresso do que o Resultado Final

 

Muitas vezes, principalmente quando temos um objetivo muito grande, focamo-nos apenas no resultado final. Isto pode significar que estamos durante muito tempo longe do tal resultado final.

 

Se apenas nos focarmos nesse ponto de vista, todo o caminho pode começar a parecer-se com um falhanço, pelo menos até ao dia em que alcançamos o tal resultado final. Mas se nos focarmos, em vez disso, no progresso que podemos fazer diariamente, então passamos a conseguir observar o nosso sucesso diário: todos os dias estamos um pouquinho mais próximos do resultado final.

 

 

 

8 | Dar Mais Uso à Palavra “Ainda”

“Eu não sei tocar piano” é diferente de “Eu ainda não sei tocar piano”. Da mesma forma, podemos dizer que ainda não conseguimos lançar o nosso negócio, ou ainda não conseguimos ser promovidos, ou ainda não conseguimos fazer aquela viagem.

 

Esta pequena palavra traduz, mais uma vez, a ideia de progresso e de que basta decidirmos que estamos prontos para aprender e conseguiremos passar a dizer que sim “eu já sei tocar piano”.

 

 

Um mindset de crescimento é indispensável para o sucesso. Se tiver um mindset fixo, não deixe de usar estas oito estratégias para cultivar um mindset de crescimento e acreditar que todos os objetivos são possíveis de concretizar.

99
PERSPECTIVA
100
SUPERAÇÃO
98
EVOLUÇÃO

Stay
connected

You’re less likely to catch a cold and
your brain will get sharper! ;)

Entrar

Looking
for Inspiration?

Get all the exclusive news, stories,
tips and happenings in your inbox!

By signing up, you agree to receive our
newsletter and accept our web terms of use
and privacy and cookie policy.

YOUR CHOICES
Play All Replay Playlist Replay Track Shuffle Playlist Hide picture