Os 4 Segredos para uma Vida Saudável

Os 4 Segredos para uma Vida Saudável

A sobrevivência e a longevidade sempre fizeram parte do desassossego humano.

 

A grande evolução da medicina, ao longo do tempo, aumentou em muito a nossa esperança média de vida. Contudo, esperança de vida nem sempre significa a qualidade da mesma.

 

Segundo o The Danish Twin Study, apenas 20% da nossa saúde e longevidade são determinadas por factores genéticos. Isto significa, que os restantes 80% estão nas nossas mãos.

Longe do destino, da sorte e do fado, serão as nossas decisões que irão contar. Isto dá-nos um enorme poder, e com ele, uma ainda maior responsabilidade.

 

O estudo de civilizações centenárias foi o caminho explorado por muitos cientistas para compreender como podemos aumentar a longevidade e a qualidade de vida na era contemporânea.

O investigador Dan Buettner em conjunto com a National Geographic e uma vasta equipa de médicos, antropólogos, demógrafos e epidemiologistas procuraram denominadores comuns em 5 populações centenárias, que definiram geograficamente como Blue Zones.

 

Desta investigação emergiram 9 variáveis fundamentais, inerentes à longevidade destas populações, podendo ser estruturadas em 4 pilares principais.

 

Blue-zones-longevidade-the-minimal-magazine

 

Os 4 Segredos de uma Longevidade Saudável

 

1 | Alimentação

 

Dieta Orgânica e à Base de Plantas – Os vegetais, as frutas, as leguminosas, as nozes e as sementes, são por norma baixos em densidade energética e de elevada densidade nutricional.

Quando consumidos, na sua enorme variedade, são fontes extraordinárias de vitaminas, minerais, proteínas, fibras, ácidos gordos essenciais, fitoquímicos e inúmeros outros micronutrientes.

Para além disso, todas as ervas e especiarias, que utilizamos na nossa cozinha, são poderosos concentrados nutricionais, com prodigiosas propriedades farmacológicas.

 

Redução ou exclusão de alimentos processados, açúcar, sal refinado e gorduras saturadas.

 

Redução ou exclusão do consumo de produtos de origem animal.

 

Redução no Consumo de Álcool – com excepção para o consumo moderado de vinho tinto. Um copo por dia para as mulheres e dois para os homens.

 

Regra dos 80% – O cérebro precisa de cerca de 20 minutos para reconhecer que o estômago está cheio, fazendo com que a maioria das pessoas acidentalmente coma demais. Por esta razão, devemos parar de comer quando nos sentirmos 80% cheios.

 

 

2 | Actividade Física

 

Não é preciso correr maratonas, “levantar ferro” no ginásio ou ser o próximo Iron Man. O importante é sermos mais activos, movimentarmo-nos naturalmente e que isso nos faça mais felizes.

 

30 minutos Diários – De actividade física moderada, seria o ideal.

 

Contacto com a Natureza – É muitíssimo importante para a promoção do bem-estar, da estabilidade física e emocional. É especialmente relevante para quem vive em ambientes urbanos.

 

Fazer por Prazer – A melhor técnica para nos mexermos, é fazendo alguma coisa que nos faça mais felizes. (E não! Não conta levantar copos, nem maratonas de séries na televisão.)

 

Combater o Sedentarismo – É importante evitar longos períodos estáticos, sentado à secretária ou a ver televisão, fazendo pequenas pausas para caminhar um pouco e alongar os músculos.

 

O que Podemos Fazer? – Caminhar, dançar, nadar, dar uma volta de bicicleta, yoga, pilates, jardinar, brincar com as crianças, passear o cão ou até aspirar a casa, são alguns exemplos simples de como podemos tornar o nosso dia-a-dia mais activo.

 

 

3 | Minimizar a Exposição a Toxinas

 

Todos temos contacto com substancias tóxicas, diariamente. Embora algumas destas matérias químicas tenham um impacto reduzido na nossa saúde, outras não.

Muitas delas têm efeitos profundamente negativos, principalmente a médio/longo prazo, devido à bioacumulação.

 

As toxinas entram no nosso organismo de várias formas, nomeadamente, quando as respiramos, comemos, bebemos ou são absorvidas pela nossa pele.

 

As principais fontes de toxinas indesejáveis são:

 

Poluição Ambiental e Atmosférica – Especialmente em ambiente urbano, e claramente a mais difícil de evitar.

 

Tabaco – Fumadores activos e passivos.

 

Pesticidas, Herbicidas e Fertilizantes – Presentes nos alimentos de origem vegetal, animal e em lençóis de água contaminados.

 

Antibióticos e Hormonas – Presentes nos alimentos de origem animal.

 

Toxinas de Ambiente Interior (Construção) – Amianto, PVC, chumbo, mercúrio e retardadores de chama halogenados, utilizados na construção de edifícios.

 

Toxinas de Ambiente Interior (Dia-a-dia)Teflon, alumínio, plásticos (com ou sem BPA), químicos da limpeza a seco, enlatados (BPA), ftalatos (em tudo o que tem “fragrâncias”). Mesmo a parafina, das tão inocentes velas que temos por casa.

 

Toxinas nos Produtos de Limpeza – Transversalmente aos do carro, do jardim, de casa, da loiça e da roupa.

 

Toxinas nos Produtos de Higiene, Cosmética e Beleza – Na maioria das tipologias comerciais. (Incluindo a “água de rosas”, o pó de talco e os produtos para bebé.)

 

 

4 | Gestão de Stress

 

Baixar o Ritmo – Desligar. Respirar. Relaxar.

Andamos constantemente numa corrida delirante contra o tempo e contra nós, com prazos irreais e objectivos utópicos. Onde o dia-a-dia se transformou numa luta idílica pela perfeição, em tudo.

É fundamental libertarmo-nos do excesso de pressões, padrões e estímulos, arranjando tempo para nos focarmos apenas em nós.

Yoga, tai-chi, chi kung, respirar, meditar ou dormir a sesta. Ler, jardinar, passear ou mesmo um jantar com os amigos, se isso nos ajudar a desconectar, já está ganho.

 

Propósito – Sabermos qual a razão que nos faz levantar da cama todos os dias para enfrentar o mundo. Uma motivação especial, uma paixão, uma missão a cumprir.

A pergunta é: O que é que nos faz querer continuar a lutar?

 

Dedicação aos que Amamos – O tempo e o amor que dedicamos à família (nascida ou escolhida), ajuda-nos a encontrar o equilíbrio físico e emocional, a segurança e a coragem para ultrapassar os obstáculos.

É o nosso porto seguro. Onde fechamos a porta e desligamos do mundo.

 

Celebrar as Pequenas Coisas – A vida é para ser celebrada, o agora é tudo o que temos. Rir. Cantar. Dançar. Viver. Colocar paixão e alegria em tudo o que fazemos.

 

Sentimento de Pertença e Envolvimento – Acreditarmos e sentirmos que temos uma “tribo” da qual fazemos parte.

Onde encaixamos, onde não são precisas máscaras, que nos compreende e respeita, que nos orienta nas escolhas certas, que nos apoia por aquilo que somos.

Pode ser o espírito de comunidade, ou apenas aquelas 2 ou 3 pessoas que fazem toda a diferença na nossa vida.

 

 

Moldar a perspectiva que temos da nossa saúde, através destes 4 princípios fundamentais, será verdadeiramente revolucionário para a nossa a nossa qualidade de vida.

 

 

Deixem-se inspirar, não se vão arrepender.

95
ALIMENTAÇÃO
85
MOVIMENTO
85
TOXIC FREE
95
STRESS FREE

Stay
connected

You’re less likely to catch a cold and
your brain will get sharper! ;)

Entrar

Looking
for Inspiration?

Get all the exclusive news, stories,
tips and happenings in your inbox!

By signing up, you agree to receive our
newsletter and accept our web terms of use
and privacy and cookie policy.

YOUR CHOICES
Play All Replay Playlist Replay Track Shuffle Playlist Hide picture