O Método Minimal e a Simplicidade

O Método Minimal e a Simplicidade

Pensamos minimal quando nas nossas vidas estabelecemos princípios de decisão e atuação firmes, baseados em valores imbatíveis, como são a diversidade e a generosidade.

Chamo a atenção para esta definição porque frequentemente vemos resumir minimal à ideia de simplicidade.

Simples é o fundamental face à variação, o que está antes face ao dependente, o que é indispensável face ao opcional, o que é exclusivo, o que é auto comunicante.

 

A procura da simplicidade visa compreender as realidades através da criação de modelos, para transmitir, para atuar, para ser eficiente e eficaz. Simples é a ideia de “cadeira” que todos temos em comum. Simples é a ideia comum de “bem-estar”. Simples é uma ideia.

 

 

 

Por isso, a simplicidade é a base de todo

o pensamento e de todo o desenho,

de todas as ideias.

 

 

 

Ora aquilo que é a ideia distinta, própria do pensamento minimal, é fazer três perguntas padronizadas sobre qualquer assunto e conseguir obter uma resposta única e comum, válida para as três perguntas.

Em cada momento, em cada decisão, em cada experiência do dia a dia, no que se passa à nossa volta, no que acontece no mundo, o método minimal faz perguntas em torno deste padrão:

 

1 | Na análise: Qual é o bem comum?

2 | Na avaliação: O que deve ser promovido em primeiro lugar?

3 | Na ação: Que regra não pode deixar de ser aplicada?

 

Para cada uma destas perguntas, qualquer que seja o assunto específico, a ideia minimal procura e identifica sempre a resposta comum, que as serve por igual.

Qual seja essa resposta, em concreto, está certamente dependente do assunto específico.

 

Porém, por inumeráveis assuntos que possamos imaginar, a quantidade de respostas possíveis, face à infinidade de variáveis, é muito reduzida e tendencialmente apenas uma.

 

 

 

A ideia minimal é, portanto,

essa resposta única ao método

das três perguntas padrão.

 

 

Além disso, essa resposta única apresenta-se como sendo tendencialmente válida para todos os assuntos equacionáveis, podendo ser generalizada ou detalhada.

E como é uma resposta única, sabemos também que é uma resposta que nos surge, inevitavelmente, sob a forma de princípios e valores.

 

Portanto, se a ideia minimal tem uma resposta de princípio para as três perguntas padrão, não a podemos considerar apenas como método de decisão e temos de a pensar como ética de decisão.

98
ANÁLISE
99
AVALIAÇÃO
100
AÇÃO
Eduardo Moura - The Minimal Magazine
TAGS:

Stay
connected

You’re less likely to catch a cold and
your brain will get sharper! ;)

Entrar

Looking
for Inspiration?

Get all the exclusive news, stories,
tips and happenings in your inbox!

By signing up, you agree to receive our
newsletter and accept our web terms of use
and privacy and cookie policy.

YOUR CHOICES